Curso realizado pelo Senac, ONU Mulher e SJMR capacita venezuelanas em Boa Vista

Home / Boa Vista / Curso realizado pelo Senac, ONU Mulher e SJMR capacita venezuelanas em Boa Vista

*Com a colaboração de Daniel Reis.

Entre os dias 23 de setembro e 02 de outubro, foi realizado o curso “Desenvolvimento Pessoal”, promovido pelo Senac com apoio da ONU Mulher e parceria com o SJMR de Boa Vista. Com a participação de 30 mulheres venezuelanas, durante 20 horas, a capacitação abordou questões como empreendedorismo, marketing profissional, técnicas de entrevista e a qualidade no atendimento ao cliente, em trabalhos de prestação de serviço.

As participantes do curso foram todas mulheres venezuelanas e várias delas estão próximas a viajar para outros estados, através da experiência de interiorização “Acolhe Brasil”, organizada pelo SJMR, em parceria com o ACNUR, OIM e Governo Federal. Através dessa iniciativa, tem sido mobilizada paróquias e articulados parceiros e grupos, visando organizar espaços e casas de acolhida que favoreçam a integração e reinserção laboral de venezuelanos no país.  

Segundo Angelita Vogel, professora de gestão e negócios que ministrou as atividades, as mulheres saíram do curso mais preparadas para o mercado de trabalho. “É importante despertar o olhar dessas venezuelanas para outras capacitações e treinamentos. Dessa forma, elas podem se desenvolver mais profissionalmente e consequentemente pessoalmente também”, ressalta Angelita.

Histórias de recomeço e superação

Prestes a reencontrar a sua família, em Juiz de Fora, cidade localizada na Zona da Mata mineira, a venezuelana Neira Muñoz não esconde a alegria e ansiedade. “Minhas duas filhas já estão trabalhando em Minas Gerais e as minhas netas estudando”, diz. A migrante fez parte do grupo de mulheres que participaram do curso “Desenvolvimento Profissional”. Com a viagem de interiorização marcada para o dia 15 de outubro, Neira agora sente que está mais preparada para procurar um emprego. Ela, que era proprietária de um restaurante na Venezuela, quer encontrar uma nova forma de voltar à ativa.  “Eu sou uma mulher empreendedora”, afirma a venezuelana.

Diante da dificuldade que as mulheres venezuelanas possuem de conseguir emprego, capacitar-se profissionalmente é uma condição fundamental para a inserção laboral.

Asia Jimenez, que se mudará para Montes Claros (MG), ainda não tem emprego garantido, mas segue confiante. “Acredita que os conhecimentos adquiridos no curso poderão ser aplicados em um futuro trabalho”, relata a venezuelana, que trabalhava como professora em seu país de origem. A viagem é a oportunidade esperada após sete meses morando no Brasil.
Ao final do curso, ainda foram distribuídos livros, que complementam os conteúdos transmitidos pela capacitação.


Asia Jimenez renova as esperanças e espera mais oportunidades de trabalho em Montes Claros (MG).

Deixe um Comentário