Quarto grupo de famílias venezuelanas chega a Belo Horizonte

Home / Belo Horizonte / Quarto grupo de famílias venezuelanas chega a Belo Horizonte

Nesta quinta-feira, 31/10, Belo Horizonte recebeu mais um grupo de famílias venezuelanas, que chegaram à capital mineira por meio do Programa de Interiorização “Acolhe Minas”, organizado pelo Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados, em parceria com o ACNUR – Alto Comissariado da ONU para Refugiados – e a OIM – Organização Internacional para as Migrações – , com apoio logístico do Exército Brasileiro.

O grupo formado 4 famílias, num total de 15 pessoas, entre elas sete crianças, foi recebido na Casa de Acolhida Alberto Hurtado, no bairro Campo Alegre. Além do apoio social por três meses, redes colaborativas e voluntárias auxiliarão na inserção no mercado de trabalho, no apoio para que os venezuelanos consigam suas residências definitivas e no recolhimento de donativos que serão repassados à população abrigada, em suas futuras casas.

Acolhe Minas

Minas já recebeu 136 venezuelanos, por meio do Programa de Interiorização “Acolhe Minas”. Os migrantes foram realocados em três casas de acolhida: Casa Alberto Hurtado, bairro Campo Alegre, Casa do Migrantes, bairro Boa Viagem e Casa Pedro Arrupe, em Montes Claros, norte do estado.

Na capital mineira, além do SJMR, a rede é composta pelo ACNUR, Arquidiocese de Belo Horizonte, Providens Ação Social Arquidiocesana de Belo Horizonte, Caritas Regional Minas Gerais, PUC-Minas, Instituto Felix Guatarri, Rede Filhas de Jesus, NAASP, Cio da Terra, Colégio Loyola, FAJE, Colégio Santo Agostinho, Colégio Marista, Escola Superior Dom Hélder, Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, CEFET, Defensoria Pública, além de profissionais e refugiados venezuelanos que já residiam na cidade, estudantes e profissionais que atuam na área da saúde e assistência social.

O Acolhe Minas, faz parte do Projeto Acolhe Brasil do SJMR, que já interiorizou mais de 1300 venezuelanos, em 16 estado, por meio da mobilização de redes solidárias de acolhida e assistência social.

Deixe um Comentário