Geração de renda na pandemia: SJMR BH avança na empregabilidade de migrantes em 2020

Home / Sem categoria / Geração de renda na pandemia: SJMR BH avança na empregabilidade de migrantes em 2020

Apesar da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus, o centro de referência do SJMR Brasil em Belo Horizonte, por meio da área de Meios de Vida avançou no apoio à geração de renda para migrantes residentes no estado.

Em 2020, 83 migrantes de nove nacionalidades foram empregados com a intermediação do SJMR Belo Horizonte. Os migrantes que preencheram mais vagas foram os venezuelanos, 54. Em seguida estão os haitianos, 18. Embora os contratados sejam em maioria do sexo masculino, foram as mulheres que conquistaram mais espaço na geração de renda. 46 delas foram contratadas, enquanto 37 homens tiveram novos postos de trabalho. Em sua maioria, as vagas foram de serviços gerais, operador de loja e de caixa.

Segundo Nathália de Oliveira, referente da área Meios de Vida do SJMR BH, apesar de em 2020 ocorrem menos contratações em relação a 2019,
foi um ano muito bom na empregabilidade de migrantes. “Esperávamos que em 2020 iríamos expandir a quantidade de pessoas empregadas, mas veio a pandemia. Mesmo assim estamos satisfeitos porque o SJMR começou a buscar novos parceiros e alternativas para a geração de emprego e renda e tivemos avanços, mesmo num contexto de crise econômica.”, disse Nathália.

Migrante Empreendedor

O fomento às inciativas de empreendimentos ganhou força ano passado. A área Meios de Vida apoiou 21 migrantes para iniciação ou continuidade na montagem de suas iniciativas de empreendimentos. A atuação do SJMR contou com apoio de parceiros com a Fundação Eugen Lutter, o ACNUR, e da Cúria Geral dos Jesuíta , por meio de financiamentos e compra de insumos necessários para apoiar a produção. Também foram feitas parcerias com outras organizações como o Coletivo Cio da Terra – Coletivo de Mulheres Migrantes e o Projeto Ler, da PUC-Minas, que apoiaram iniciativas de formação e participação de migrantes nas ações de fomento . A maioria dos empreendimentos se encontram no segmento de alimentação, artesanato, costura e beleza.

A maioria dos empreendimentos migrantes beneficiados se encontram no segmento de alimentação, artesanato, costura e beleza.

O financiamento da Fundação  Eugen Lutter proporcionou que o SJMR BH promovesse a geração de renda para seis mulheres migrantes, que confeccionarem um pouco mais de 10 mil máscaras de proteção de forma remunerada. Por meio do Projeto “Protagonismo Migratório no Combate às Desigualdades Sociais na Pandemia da Covid-19”, os itens de segurança foram distribuídos para secretarias municipais de saúde de Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

Embora o ano tenha começado a pouco mais de uma semana, a área Meios de Vida já traçou as metas para 2021. “Queremos: 50 contratantes novos, 150 novas contratações, mesmo com a pandemia. Vamos continuar investindo nas ações de empreendedorismo e geração de renda. Também queremos apoiar o “Jovens Aprendizes” e encaminhar mais migrantes para essa modalidade”, diz Nathália.

Embora o ano tenha começado a pouco mais de semana, a área Meios de Vida já traçou as metas para 2021. “Queremos: 50 contratantes novos, 150 novas contratações, mesmo com a pandemia. Vamos continuar investindo nas ações de empreendedorismo e geração de renda. Também queremos apoiar o “Jovens Aprendizes” e encaminhar mais migrantes para essa modalidade ”, diz Nathália.

Ela também ressalta que não são apenas as grandes empresas que podem ser parceiras do SJMR. “Pequenas e médias empresas e pessoas físicas também podem fazer parcerias com o SJMR”, lembra. Interessados, devem fazer contato pelo e-mail meiosdevidabh@sjmrbrasil.org ou pelo telefone (31) 99295-4122.

Projeto de Empreendimento Coletivo de Imigrantes

Existe ainda a expectativa de retomada do projeto Fala, Zanmi , que consiste na oferta de aulas de idiomas por professores migrantes. Muitos deles são fluentes em espanhol, principalmente, em francês e em inglês. É uma grande oportunidade para brasileiros aprenderem uma nova língua ao mesmo tempo em que ajudam na geração de emprego e renda. Na pandemia o projeto foi paralisado. 

Há projetos em desenvolvimento pela área Meios de Vida e outros setores do SJMR BH para apoio migrantes e refugiados na inserção laboral no mercado de trabalho brasileiro. Muito chegam no Brasil com uma formação acadêmica, mas necessitam passar pelos processos de revalidação de diploma, que ainda é muito burocrático, pode demorar até dois anos e é caro.

Essa é a situação do médico venezuelano Samuel Medina, de 27 anos. Ele está no Brasil há pouco mais de ano. Em BH há 10 meses. “Eu trabalho em uma empresa de saúde. Mas quero trabalhar na minha área mesmo, como médico. Então, vou tentar o Revalida para Medicina (exame para revalidação do diploma de curso de graduação) e espero retomar a minha profissão”, disse. 

Atendimentos da área Meios de Vida em 2020

  • Currículos Elaborados e/ou atualizados: 401
  • Emissões de CPTS Digital: 33
  • Iniciativas empreendedoras fomentadas: 21
  • Encaminhamentos para entrevistas: 232
    Contratações com intermediação do SJMR BH: 83

Em 2020, as ações da área Meios de Vida do SJMR BH também contou com o apoio de outros parceiros com a OIM, Ibmec Social, Fundação Avina, Sebrae, Rede de Carreiras do Senac Minas, Belgo Bekaert e Aliança Empreendedora.

*Com colaboração de Marcelo Gomes.

Deixe um Comentário