SJMR BH apresenta mapa de georreferenciamento e tendências à proteção da população refugiada e migrante em Minas Gerais

Home / Belo Horizonte / SJMR BH apresenta mapa de georreferenciamento e tendências à proteção da população refugiada e migrante em Minas Gerais

O mapa de georreferenciamento da população refugiada e migrante residentes no estado de Minas Gerais e atendida pelo SJMR BH foi um dos painéis mais esperados da webinar “Tendências Globais e Caminhos à Proteção de Refugiados e Migrantes em Minas Gerais”. O evento online foi realizado ontem, dia 23 de junho, e fez parte de uma série de atividades que marcam as reflexões do Dia Mundial dos Refugiados.

Pe. Agnaldo Junior, diretor nacional do SJMR Brasil e Marcelo Lemos, coordenador do SJMR BH, conduziram o painel que também apresentou os desafios e conquistas da Rede Acolhe Minas que, desde 2019, já recebeu mais de 150 migrantes venezuelanos no estado.

O levantamento realizado pelo SJMR BH teve por objetivo apoiar o posterior desenvolvimento georreferenciado de ações e projetos que podem potencializar a integração local das pessoas solicitantes de refúgio, refugiados, migrantes e apátridas que vivem em Minas Gerais.

Mapa de georreferenciamento

Os dados de georreferenciamento apresentados neste mapeamento representam o retrato amostral estático das pessoas atendidas pelo SJMR BH, entre janeiro e dezembro de 2019.

O estudo é resultado de uma parceria entre o ACNUR e SJMR BH, instituição que, em 2019, realizou 6.880 atendimentos a migrantes, solicitantes de refúgio, refugiados e apátridas, em Minas Gerais, sendo este o universo amostral da pesquisa. O registro dos atendimentos foi realizado no sistema Dynamics de gerenciamento de projetos da Província Jesuíta do Brasil, a partir do qual foram extraídos dados individuais com recorte de gênero, idade, país de origem, escolaridade, estado civil e endereço de residência.

Baixe o arquivo aqui – Mapa de Georreferenciamento de Minas Gerais

Os mapas revelam a concentrações de refugiados, solicitantes de refúgio e migrantes no território urbano da Região Metropolitana de Belo Horizonte, e constituem indicativo das dinâmicas de integração local dessas populações.

Acolhe Minas – Programa de Interiorização de Venezuelanos

Em 2019, Minas Gerais recebeu cinco grupos de interiorizados, num total de 136 venezuelanos, por meio do Programa de Interiorização “Acolhe Minas”. Os migrantes foram realocados em três casas de acolhida: Casa Alberto Hurtado, no bairro Campo Alegre, Casa do Migrante, no bairro Boa Viagem, ambas na cidade de Belo Horizonte, e Casa Pedro Arrupe, em Montes Claros, no norte do estado.

Na capital mineira, além do SJMR, a rede Acolhe Minas é composta pelo ACNUR, Arquidiocese de Belo Horizonte, Providens Ação Social Arquidiocesana de Belo Horizonte, Cáritas Regional Minas Gerais, PUC-Minas, Instituto Felix Guatarri, Rede Filhas de Jesus, NAASP, Cio da Terra, Colégio Loyola, FAJE, Colégio Santo Agostinho, Colégio Marista, Escola Superior Dom Hélder, Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, CEFET, Defensoria Pública, além de profissionais e refugiados venezuelanos que já residem na cidade, estudantes e profissionais que atuam na área da saúde e assistência social.

Deixe um Comentário