SJMR BH recebe doações para famílias migrantes recém-chegadas na capital

Home / Belo Horizonte / SJMR BH recebe doações para famílias migrantes recém-chegadas na capital

O SJMR Belo Horizonte recebeu, no dia 23 de março, mais um grupo de migrantes e refugiados que foram interiorizados de Boa Vista (RR) para Minas Gerais, com apoio da Rede Acolhe Minas e em parceria com o ACNUR. Das sete famílias recém-chegadas, 15 são adultos, seis são adolescentes e 13 são crianças, totalizando cerca de 34 pessoas.

O grupo foi acolhido na Vila Alberto Hurtado, no bairro Santa Amélia, espaço para migrantes e refugiados do SJMR BH em parceria com as Irmãs do Sagrado Coração de Maria, e que conta com o apoio da rede de parceiros “Acolhe Minas”, voluntários e outros doadores. Para o cuidado e melhor acolhida das famílias, o SJMR BH está recebendo doações, além de ajuda voluntária para a realização de atividades ocupacionais e recreativas ao ar livre com as pessoas, bem como parcerias de projetos e ações nas temáticas de meio ambiente, ensino de português e cultura brasileira, acesso a direitos, cultura, formação profissional e atividades físicas.

O que doar

O SJMR está recebendo a doação de alimentos perecíveis como carne, frango, ovos, legumes e frutas, margarina, arroz branco, feijão preto, macarrão, extrato de tomate, café, farinha de milho, farinha de trigo, pão, açúcar, leite integral, óleo de soja e suco de fruta concentrado. Além disso, também precisamos de materiais de limpeza, como: sabão em pó, detergente, esponja para louças, esponja de aço, rodo, vassoura, balde, água sanitária e álcool 70% líquido.

As famílias com bebês de colo, precisam de fralda (tamanho M, G E XG), pomada para assadura, lenço umedecido, sabonete próprio para bebê e algodão e fórmula infantil para alimentação dos bebês. E para as demais pessoas, produtos de higiene pessoal, como desodorante, shampoo, condicionador, sabonete, absorvente feminino, aparelho para barbear, escova de dentes e creme dental.

Para as crianças e adolescentes, em idade escolar, será necessário ter caderno, lápis de escrever, apontador de lápis, massinha, giz de cera, desenhos para colorir, canetinhas, papel crepom, cartolina, folha ofício e borracha – para que elas acompanhem as aulas remotas. Além disso, também são realizadas aulas de português na Vila, para que todos os migrantes possam aprender o idioma, o que é fundamental para a integração local.

As doações podem ser entregues diretamente na Vila Alberto Hurtado, situada na rua Edna Brandão Ferreira, 318 – Santa Amelia, Belo Horizonte, de segunda à sexta-feira das 08h às 17h. Outras informações sobre as doações com as analistas sociais do SJMR Belo Horizonte: Claudia Defendi (31) 99210-3434, Yolis Lyon (31) 99289-0216 e Cristina Requena (31) 99567-6745.

Se você deseja colaborar como voluntário/a no SJMR BH, entre em contato conosco pelo e-mail: voluntarios@sjmrbrasil.org (Ir. Elaine).

Programa de Interiorização do SJMR Brasil

A versão mineira do Projeto “Acolhe Brasil” recepcionou o primeiro grupo de venezuelanos em fevereiro de 2019 e, desde então, já interiorizou 189 migrantes em Minas Gerais. As ações estão sendo realizadas em parceria com o Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur), o Exército Brasileiro e com o apoio da Arquidiocese de Belo Horizonte – PROVIDENS e entidades da sociedade civil.

O Acolhe Minas, faz parte do Projeto Acolhe Brasil do SJMR, que já interiorizou mais de 2 mil venezuelanos, em 16 estados, por meio da mobilização de redes solidárias de acolhida e assistência social.

Na capital mineira, além do SJMR, a Rede Acolhe Minas é composta pelo ACNUR, Arquidiocese de Belo Horizonte, Providens Ação Social Arquidiocesana de Belo Horizonte, Cáritas Regional Minas Gerais, PUC-Minas, Instituto Felix Guatarri, Irmãs do Sagrado Coração de Maria, Rede Filhas de Jesus, NAASP, Cio da Terra, Colégio Loyola, FAJE, Colégio Santo Agostinho, Colégio Marista, Escola Superior Dom Hélder, Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, CEFET, Defensoria Pública, além de profissionais e refugiados venezuelanos que já residem na cidade, estudantes e profissionais que atuam na área da saúde e serviço social.

Deixe um Comentário