Dez mil máscaras produzidas por migrantes e refugiados beneficiam municípios da região metropolitana de BH

Home / Belo Horizonte / Dez mil máscaras produzidas por migrantes e refugiados beneficiam municípios da região metropolitana de BH

Cada vez mais o SJMR Belo Horizonte tem consolidado estratégias solidárias e de cooperação no enfrentamento da pandemia e na geração de renda para pessoas migrantes, na capital mineira e cidades da região. Na última sexta-feira (31), por meio do “Projeto Protagonismo Migratório no Combate às Desigualdades Sociais na Pandemia da Covid-19”, cinco mil máscaras foram entregues a Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania da Prefeitura de Belo Horizonte, totalizando 10.368 equipamentos de proteção individual destinados gratuitamente a migrantes e pessoas em situação de vulnerabilidade da região metropolitana de Belo Horizonte.

As analistas sociais do SJMR BH, Nathália Oliveira e Thais Viana, além dos Multiplicadores Voluntários que atuam no projeto, Marcelis Garcia e Jim Davidson Jean, participaram da entrega das máscaras, que foram recebidas por José Cruz, Subsecretário de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania. Ao município de Belo Horizonte foram destinadas 4.360 máscaras no tamanho adulto e 640 infantis, num total de cinco mil equipamentos de proteção individual.

Os equipamentos de proteção individual foram recebidos pelo Subsecretário de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, José Cruz.

Projeto Máscaras

O “Projeto Protagonismo Migratório no Combate às Desigualdades Sociais na Pandemia da Covid-19”, também conhecido com “Projeto Máscaras” é uma iniciativa do SJMR BH, que conta com o financiamento da organização alemã Fundação Eugen Lutter, coordenada no Brasil pelo padre jesuíta Martinho Lenz SJ.  A ação também é realizada em parceria com o Coletivo Cio da Terra – Coletivo de Mulheres Migrantes e o Projeto Ler do Núcleo de Extensão do curso de Letras PUCMinas . Além da confecção de doação de máscaras de tecido por mulheres migrantes da Venezuela, Haiti, Síria e República Democrática do Congo , o projeto também realiza atividades de orientação sobre prevenção ao Covid-19 e informações diversas para migrantes e refugiados falantes das línguas crioulo haitiano, francês e espanhol.

A iniciativa conta com o financiamento da organização alemã Fundação Eugen Lutter. 

Ao todo, o Projeto produziu 11.520 máscaras, das quais 10% (1.152) foram repassadas às seis costureiras migrantes para venda e ampliação da renda. Para fortalecer a ações de cooperação e geração de renda, elas foram remuneradas pela confecção dos equipamentos de proteção, assim com os “Multiplicadores Voluntários” que realizam vídeos semanais sobre informações importantes para a população migrante e o mapeamento de pessoas em situação de vulnerabilidade.

Subsecretário da Secretaria de Desenvolvimento Social de Contagem, Maurício Rangel recebe as máscaras de proteção.

A primeira entrega foi realizada no dia 17 de junho e 2.200 máscaras de proteção foram entregues à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Contagem.  Os equipamentos de proteção foram destinados a população em situação de rua e encaminhados aos centros de referência de assistência social do município para serem repassadas aos migrantes e refugiados residentes na cidade. Também foram entregues 200 máscaras para a Associação dos Jovens Atores Haitianos.

Silencier Charles, presidente da Associação de Haitianos é um dos parceiro do SJMR BH que recebeu 300 máscaras de proteção

No dia 02 de julho, a iniciativa realizou novas entregas de máscaras de proteção ao município de Betim. 1000 máscaras foram entregues, sendo 700 para a Secretaria Municipal de Assistência Social e 300 para a Associação de Haitianos, que foram recebidas pelo presidente, Silencier Charles.

Em Ribeirão das Neves, Gláucia Brandão da Secretária de Desenvolvimento Social e Cidadania recebeu as 1.000 máscaras destinadas ao município.

No município de Ribeirão da Neves, 1000 máscaras de proteção foram destinadas aos usuários dos Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS).

Deixe um Comentário