SJMR e sociedade civil mineira se mobilizam para receber venezuelanos na próxima sexta

Home / Belo Horizonte / SJMR e sociedade civil mineira se mobilizam para receber venezuelanos na próxima sexta

Na próxima sexta-feira (15), chegará a Belo Horizonte o primeiro grupo de migrantes venezuelanos interiorizados para o Estado de Minas Gerais, com o apoio do Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados de Belo Horizonte (SJMR-BH) e do ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados), em parceria com outros membros da sociedade civil.

A acolhida também acontecerá por meio de um encontro na Igreja de Boa Viagem, no dia 17 (domingo), às 11h. O evento contará com uma missa temática, barracas com produtos e alimentos típicos da Venezuela e fará a arrecadação de doações em dinheiro e de itens para as residências para onde serão encaminhados os migrantes

Os venezuelanos ficarão divididos em três locais diferentes: uma residência jesuíta no bairro Campo Alegre, uma paróquia jesuíta na cidade de Montes Claros e uma casa de passagem localizada ao lado da Igreja de Boa Viagem, na Região Central da capital. Em parceria com o ACNUR, a Cáritas Regional Minas Gerais, a Arquidiocese de Belo Horizonte, a PUC Minas e com o apoio logístico do Exército Brasileiro, será viabilizado o transporte aéreo do estado de Roraima e traslado para as novas residências.

Projeto “Acolhe, Minas”

No último sábado (09), foi realizada uma reunião emergencial do “Acolhe, Minas”, que contou com a participação de cerca de 45 pessoas, representando diversas entidades e com diferentes formações. A iniciativa busca promover acolhida, proteção, promoção e integração dos migrantes venezuelanos que chegam ao estado. Por meio de ações solidárias, o SJMR-BH, em parceria com organizações da sociedade civil, universidades e pessoas que querem contribuir com a causa, busca, por meio de grupos de trabalho, implementar as ações de interiorização dos migrantes venezuelanos que chegam de Boa Vista (RR).

A reunião emergencial do “Acolhe, Minas, contou com a participação de cerca de 45 pessoas, de diferentes entidades e com diversas formações

Segundo o coordenador nacional do SJMR, Pe. Agnaldo Jr, o projeto pretende retirar Minas Gerais do espaço invisível de acolhimento dos migrantes venezuelanos, acompanhando iniciativas de integração já realizadas em outros estados do país. “Depois desse longo processo das reuniões de articulação, a minha expectativa é que consigamos, realmente, dar passos concretos de inter-relação com a realidade dessas pessoas”, explica.

Na opinião da assistente sênior de proteção do Acnur, Silvia Sander, projetos como o “Acolhe Minas” são de extrema importância para a minimização dos impactos da crise migratória na Venezuela. “Uma situação humanitária que tem esse nível de complexidade demanda, necessariamente, o engajamento de todos os atores sociais, do poder público, da sociedade civil, academias, agências do sistema uno e da iniciativa privada, para responder efetivamente os desafios que esse tema traz”, opina.

Silvia Sander, assistente sênior de proteção do Acnur conversa com participantes da reunião emergencial do projeto “Acolhe, Minas”


Uma situação humanitária que tem esse nível de complexidade demanda, necessariamente, o engajamento de todos os atores sociais, do poder público, da sociedade civil, academias, agências do sistema uno e da iniciativa privada, para responder efetivamente os desafios que esse tema traz. (Silvia Sander,

(Silvia Sander, assistente sênior de proteção do Acnur)

Para Agnaldo Junior, a expectativa é de que a sociedade civil não fique isolada, dentro desta mobilização e que, também, seja acionado o poder público. “Buscamos conseguir a força do Estado e do Município para implementar políticas mais duradouras de proteção e de garantia de direitos para esta população. A sociedade civil está fazendo o possível, e oferecendo uma resposta bonita e ousada, mas não podemos desconsiderar que este é um dever do Estado”, afirma.

Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados

O SJMR – Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados – é uma instituição da Companhia de Jesus, que busca servir, acompanhar e defender migrantes, solicitantes de refúgio e refugiados, promovendo e protegendo sua dignidade e direitos, acompanhando seu processo de inclusão e autonomia e incidindo na sociedade e no poder público, para que reconheçam a riqueza da diversidade humana. A organização possui escritórios em Belo Horizonte, Boa Vista, Manaus e Porto Alegre, em parceria com a Cáritas Brasil, a Congregação das Filhas de Jesus, a Província Franciscana Santa Cruz, a Arquidiocese de Manaus, Fundação Avina/Porticus e Magis Américas, entre outros.

Doações para o projeto “Acolhe, Minas”:

Banco: Itau

Agência: 4540

Conta: 12870-1

Identificação do Depósito

CNPJ: 17.211.202/0001-85 Associação Jesuíta de Educação e Assistência Social

(enviar comprovante para financeirobh@sjmrbrasil.org)

Doações de itens de higiene pessoal, móveis, alimentos não perecíveis, roupas de cama, banho, panelas, copos, pratos, talheres, entre outros, poderão ser entregues na acolhida de domingo (17) ou no escritório do SJMR-BH (Av. Amazonas, n. 641 / 8º andar, Centro, de segunda a sábado, das 08h às 17h).

Veja também:

Deixe um Comentário