SJMR Manaus: dois anos de escuta e acompanhamento da comunidade migrante na região amazônica

Home / Brasil / SJMR Manaus: dois anos de escuta e acompanhamento da comunidade migrante na região amazônica

Nesta quinta-feira, dia 01/10, o Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados Manaus completou dois anos de presença na região amazônica. O escritório
realiza atendimentos diversos e assistência humanitária a migrantes venezuelanos e indígenas da etnia warao e, em 2019, 2.355 pessoas foram atendidas por nossos serviços. Com uma equipe composta por 10 colaboradores, o SJMR Manaus atua com vários parceiros, entre eles a Cáritas Diocesana, o Serviço Pastoral dos Migrantes e o ACNUR.

Pe. Agnaldo Junior, diretor nacional do SJMR Brasil no ultimo encontro presencial com a equipe do SJMR Manaus.

O principal público alvo são os migrantes que já estão em uma situação de final de abrigamento. Diante disso, os serviços oferecidos pelo escritório são: assessoria de empreendedorismo; assessoria jurídica; capacitação para a inserção laboral; cursos de português; cursos profissionalizantes; elaboração de currículos; mediação para vagas de empregos; dentre outros. “Nós somos referência em questão de empregabilidade e empreendedorismo e estamos sempre promovendo oficinas, treinamentos e cursos para que os migrantes consigam se inserir no mercado de trabalho”, comenta Mariana Ribeiro, coordenadora do SJMR Manaus.

Equipe do SJMR Manaus em 2019, na celebração eucarística em ação de graças pelo primeiro ano de atividades.

O bom funcionamento do escritório é fruto de uma equipe muito empenhada e feliz por poder ajudar. A analista social, Ludmilli Lira, que está a um ano e dois meses no SJMR MAO, conta sobre sua experiência: “Estar no Serviço Jesuíta é uma oportunidade muito gratificante. Eu diretamente acompanho o trabalho e a força que os migrantes têm de sempre buscarem ser mais qualificados para se destacarem no trabalho. Eles estão sempre dispostos a aprender sobre a cultura brasileira e acontece uma troca de vivências que é muito importante para as suas integrações”.

Já a analista de projetos, Karla Gama, que é a colaborada mais antiga do SJMR Manaus destaca seu amadurecimento no escritório ao longo do tempo. “O SJMR foi um divisor de águas na minha vida. Todos os dias eu tento dar o meu melhor no atendimento aos migrantes e posso afirmar que não sou a mesma pessoa que entrou. Desenvolvi princípios e sou muito mais empática do que antes, uma pessoa mais comprometida com a causa, defesa e justiça social e direitos humanos”, disse.

Escuta e o mapeamento da comunidade migrante na região amazônica

Mesmo em tempos de pandemia, o SJMR Manaus tem realizado escutas e o mapeamento constantes da comunidade migrante e refugiada no Amazonas para apoiar com ajuda humanitária emergencial. Ao todo, mais de 360 pessoas, entre indígenas, não indígenas, população LGBTQI+, mulheres, homens e crianças foram beneficiadas com apoio direto com aluguel, cartões de alimentação sodexo, kits de higiene, cesta básica, pagamento de remédios, máscaras de proteção, impactando mais de 1300 pessoas.

Deixe um Comentário