Retrospectiva SJMR Brasil: reveja as principais iniciativas e projetos de 2021

Home / Bahia / Retrospectiva SJMR Brasil: reveja as principais iniciativas e projetos de 2021
Mais de 12 mil pessoas foram atendidas pelo SJMR Brasil, em 2021, num total de 25.190 atendimentos.

Enfrentando mais um ano desafiador em meio à pandemia de Covid-19, o SJMR Brasil manteve seu compromisso com as pessoas migrantes e refugiadas, promovendo uma série de iniciativas de atenção humanitária por todo o Brasil, com o propósito de fortalecer as ações de acolhida, proteção, promoção e integração mais humanizadas. Por meio de atendimentos remotos e presenciais, mais de 12 mil pessoas foram alcançadas pelo SJMR, de Norte a Sul do país, o que garantiu a segurança alimentar e o acesso a medicamentos, além de fomentar iniciativas de empreendedorismo, empregabilidade e geração de renda para os migrantes.

Fazendo uma memória dos nossos principais projetos e ações em 2021, relembramos algumas das iniciativas mais marcantes organizadas pelo SJMR Brasil no último ano. Desde a inauguração do escritório de portas abertas em Porto Alegre (RS), em janeiro, passando pela expansão da rede para uma presença junto aos migrantes em Salvador (BA) e Florianópolis (SC), destacamos também os “SJMR Itinerante” para jornadas de regularização documental e migratória; a rede de acolhida solidária do programa de interiorização “Acolhe Brasil”; os cursos e capacitações para inserção no mercado de trabalho; além das diversas iniciativas de proteção; ações de prevenção à Covid-19, como a campanha “Mais Hospitalidade”. Assim, chegamos a dezembro com a visita do Pe. Mieczyslaw Smyda, SJ, Provincial dos Jesuítas no Brasil, ao escritório de Boa Vista e, ainda, com o fechamento da parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte para a assistência e acompanhamento integral de famílias indígenas da etnia Warao.

Confira a retrospectiva mês a mês do SJMR Brasil:

JANEIRO

O mês de janeiro de 2021 foi marcado pela inauguração do novo centro de atendimento em Porto Alegre (RS), que veio para ampliar as ações de acolhida, proteção e integração de pessoas migrantes e refugiadas na região Sul do país. Já em Feira de Santana (BA), famílias de migrantes venezuelanos foram interiorizadas através do programa “Acolhe Brasil”, desenvolvido pelo SJMR Brasil em conjunto com redes solidárias de acolhida e assistência social.

Com as portas abertas na capital gaúcha, o SJMR ampliou a assistência humanitária especializada, com a prestação de diversos serviços e atendimentos gratuitos.

No Norte, 100 famílias de migrantes receberam cestas básicas através do programa “Integrando Horizontes”, desenvolvido pelo SJMR em Boa Vista em parceria com a Fundação Pan-Americana para o Desenvolvimento (PADF) e o Escritório de População, Refugiados e Migração (PRM). Em Belo Horizonte, com o apoio e articulação do SJMR com a Organização Social Compassiva, o migrante venezuelano Carlos Hoyo recebeu a notícia que esperava há muito tempo: seu diploma de curso superior finalmente foi revalidado no Brasil e ele poderia atuar como engenheiro eletricista – profissão na qual se graduou.

FEVEREIRO

Com o agravamento da pandemia de Covid-19 no Amazonas, o SJMR em Manaus lançou a campanha “Mais Hospitalidade”, destinada à arrecadação de kits de higiene pessoal para ações de socorro imediato às pessoas migrantes, solicitantes de refúgio e refugiadas em situação de extrema vulnerabilidade. Com a iniciativa, 180 famílias migrantes foram beneficiadas na capital amazonense.

A campanha “Mais Hospitalidade” incentivou um gesto de solidariedade, como forma de socorrer urgentemente nossos irmãos mais vulneráveis, em Manaus (AM).

O Consulado Móvel da Colômbia esteve presente no SJMR em Belo Horizonte para realizar diversos serviços como: inscrições consulares, emissão e segunda via de cédulas, passaportes, dentre outros. Já em Boa vista, a equipe de proteção do SJMR promoveu, em parceria com a PADF e o PRM, do Departamento de Estado dos Estados Unidos, sessões de cinema para crianças que residiam na rodoviária.

MARÇO

Com um ano de fronteiras terrestres fechadas, Pe. Agnaldo de Oliveira Júnior, SJ, diretor nacional do SJMR Brasil escreveu o artigo “Fronteiras fechadas e pandemia: sofrimento duplo para migrantes e refugiados no Brasil”, refletindo como a medida sanitária, adotada também por outros países, não foi suficiente como barreira e ainda violou o direito de as pessoas migrantes solicitarem asilo. Confira!

Doações da Cruz Vermelha ao SJMR BH são destaque em reportagem da Rede Globo Minas.

O SJMR em Belo Horizonte lançou o catálogo de Professores de Idiomas do “Projeto Fala, Zanmi”, que oferece aulas de idiomas diversos ministradas por pessoas migrantes e refugiadas. Além disso, 45 migrantes que chegaram na capital mineira receberam da Cruz Vermelha de Minas Gerais cestas básicas, mais produtos de limpeza e kits de higiene

ABRIL

Em Porto Alegre, o SJMR promoveu o Webinar “Refugiados e Migrantes na sua Empresa: contratações que mudam vidas”, iniciativa por meio do programa “Integrando Horizontes”, que buscou sensibilizar empresários, gestores e recrutadores sobre a contratação de pessoas migrantes e refugiadas. O centro de atendimento da capital gaúcha ainda realizou uma ação humanitária com a comunidade Warao que reside no Bairro Farrapos em prol de mapear as necessidades dessa população.

O objetivo da ação foi realizar uma visita à comunidade indígena Warao, bem como construir uma parceria entre as instituições locais em prol da causa dos migrantes indígenas.

Já os migrantes e refugiados acolhidos na Vila Alberto Hurtado, em Belo Horizonte, receberam cestas básicas e kits de higiene que foram doados pelo projeto “Unindo Forças BH” – uma coalizão de várias instituições, empresas e projetos sociais que se uniram em uma grande força tarefa: colocar comida na mesa de quem precisa.

MAIO

No Dia Internacional Contra a LGBTfobia, o SJMR Brasil lançou o documentário “Meu corpo, minha fronteira”. A produção dirigida e encenada pelo diretor e ator Eduardo Mossri, voluntário e parceiro do SJMR, contou com a participação de pessoas migrantes e refugiadas de várias nacionalidades e promoveu uma reflexão atenta sobre as diversas formas de violência e exploração sexual de mulheres e pessoas LGBTQIA+ migrantes.


O SJMR em Boa Vista tem descentralizado o seu atendimento e realizado atividades de campo em outros municípios de Roraima.

Para mediar e acompanhar a contratação de pessoas migrantes em Minas Gerais, a área de meios de vida do SJMR em Belo Horizonte realizou diversas visitas a empresas parceiras, entre elas está a Gerdau – Unidade Barão de Cocais. Já em Boa Vista, o SJMR apoiou mais de 300 pessoas com serviços de proteção, regularização migratória, assistência humanitária e meios de vida no município de Bomfim, no interior de Roraima.

JUNHO

Em alusão ao Dia Mundial do Refugiado, o SJMR em Belo Horizonte realizou a live musical “Tantos Somos, Somos Um”, que contou com a participação de artistas migrantes, refugiados e brasileiros e com a apresentação do ator Eduardo Mossri, que interpretou o médico Faruq na novela “Órfãos da Terra”, da Rede Globo. Ainda nas reflexões da data, o SJMR em Manaus realizou a “I Semana de Migrantes e Refugiados”, que contou com diversas atividades de integração comunitária, acolhimento e apresentações culturais.

Diversas atividades marcaram o “Dia Mundial do Refugiado”, celebrado em 20 de junho, entre elas a terceira edição do “Festival Tantos Somos, Somos Um”.

O SJMR em Boa Vista, em parceria com o ACNUR, promoveu a primeira atividade do projeto “Moro no Brasil”, que foi realizada na Ocupação Espontânea Aprisco e buscou fortalecer as comunidades de migrantes e refugiados a partir da integração e convivência pacífica com a população brasileira. Em Porto Alegre, foi realizado o “SJMR Itinerante”, iniciativa que ofereceu oficinas trabalhistas, elaborações de currículos e orientações para buscas de trabalho para migrantes e refugiados. E mulheres indígenas venezuelanos da etnia Warao, acolhidas na vila Alberto Hurtado, em Belo Horizonte, participaram de oficinas de artesanato.

JULHO

O SJMR Brasil chegou ao estado de Santa Catarina em julho de 2021 e, na cidade de Florianópolis, tem promovido um espaço importante para articulação institucional e diálogo com a rede existente. Em Boa Vista, o SJMR apoiou o ACNUR e parceiros como a FFHI e a AVSI Brasil na entrega de certidões de reconhecimento da condição de refugiado a 67 migrantes indígenas. A iniciativa foi realizada nos abrigos Jardim Floresta, Pintolândia, Nova Canaã e Tancredo Neves.

A presença do SJMR Brasil no estado catarinense conta com o apoio da Rede Cáritas Santa Catarina.

Em julho, foi realizado o evento “Empreendedorismo Feminino”, numa parceria entre o SJMR em Porto Alegre, Diosa – rede de mão de obra feminina e a Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), que possibilitou um curso de pequenas reformas e noções de elétrica e hidráulica para mulheres migrantes e refugiadas. Já a capital mineira acolheu o encontro do Conselho Nacional do SJMR Brasil, que reuniu colaboradores do escritório e da comunicação nacional, além dos coordenadores e da equipe administrativa dos centros de atendimento.

AGOSTO

Com a proposta de promover a integração entre as comunidades migrante e brasileira, foram realizadas “Jornadas de Integração Comunitária” na sede do SJMR em Porto Alegre e na Biblioteca Comunitária Aninha Peixoto, em parceria com o ACNUR e com a PADF. O SJMR Belo Horizonte, com o apoio da Prefeitura de Betim (MG), realizou mais uma edição do “SJMR Itinerante”, iniciativa que realiza diversos serviços gratuitos para migrantes e refugiados que residem no município.

Durante a cerimônia de formatura em Manaus, os alunos também puderam compartilhar suas experiências no aprendizado profissional.

O SJMR em Manaus celebrou o encerramento das turmas dos cursos de Operador de Caixa e Conferente de Mercadorias do Projeto Bastion Life, que beneficiou cerca de 36 migrantes. Ainda sobre as capacitações profissionais, o SJMR em Belo Horizonte, por meio da Equipe de Meios de Vida, promoveu a “Cerimônia de Entrega de Certificados – Workshop Trilha de Gastronomia – Senac Minas”, onde houve a entrega das declarações de conclusão de curso.

SETEMBRO

Para fortalecer as iniciativas da rede local assistência às pessoas migrantes e refugiadas na Bahia, o SJMR Brasil realizou uma série de encontros com parceiros, poder público, universidades, movimentos e entidades da sociedade civil, entre os dias 28 de setembro e 01 de outubro.

SJMR Brasil amplia ações para o fortalecimento da rede de apoio na Bahia.

A cidade de Porto Alegre recebeu famílias venezuelanas que deixaram Manaus (AM) em busca de um novo recomeço no Sul do Brasil por meio do Programa de Interiorização “Acolhe Brasil” do SJMR. Já o SJMR em Boa Vista realizou mais um mutirão de agendamentos para solicitação ou renovação de refúgio e atendeu 496 migrantes.


496 pessoas migrantes foram atendidas, num só dia, no “Mutirão de Agendamentos” de Boa Vista.

OUTUBRO

O Relatório Anual do SJMR Brasil conquistou o prêmio Dom Hélder Câmara, na categoria Revista, na 53ª edição dos “Prêmios de Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil” (CNBB). Na capital amazonense foi realizada a experiência da segunda turma do Voluntariado Vocacional, organizado pelo Programa MAGIS Brasil em parceria com o SJMR.

O Prêmio Dom Hélder foi instituído pela CNBB, com o objetivo de premiar pessoas e trabalhos jornalísticos que coincidam com as propostas sociais e humanitárias da Igreja no Brasil.

O “Projeto Acolher”, realizado pelo SJMR Brasil em Porto Alegre, CIBAI Migrações e pelo GAIRE/UFRGS, levou pessoas migrantes e refugiadas de Porto Alegre para receberam vacinas contra a Covid-19, além de diversos atendimentos gratuitos, como documentação e elaboração de currículos. No escritório do SJMR em Boa Vista aconteceu uma cerimônia de entrega de kits de iniciação empreendedora para 14 migrantes e refugiados que buscam integração local por meio do desenvolvimento de pequenos negócios. 40 migrantes que vivem em abrigos e casas alugadas na cidade também receberam certificados dos cursos de Técnicas de Atendimento ao Cliente e Organização e Almoxarifado.

NOVEMBRO

Empresários, representantes da Operação Acolhida e de organizações que trabalham com migrantes e refugiados em Manaus, Boa Vista e Rio Grande do Sul estiveram presentes no “Café com Empresários”, realizado pelo SJMR Brasil em Manaus em parceria com a Bastion Life.  O evento buscou sensibilizar o setor para a maior inserção laboral de pessoas migrantes e refugiadas na capital amazonense.

O “Café com Empresários” buscou sensibilizar o setor para a maior inserção laboral de pessoas migrantes e refugiadas na capital amazonense.

A situação dos indígenas Warao acolhidos em Belo Horizonte e a discussão do Projeto de Lei 3.200/21, que institui a Política Estadual para a População Migrante de Minas Gerais foram o centro das discussões da audiência pública da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia de Minas (ALMG).

O SJMR, a Rede de Acolhe Minas e representantes dos migrantes e refugiados que vivem em Minas Gerais participaram da reunião na ALMG.

O SJMR em Florianópolis promoveu uma capacitação para técnicos e técnicas da rede pública de Assistência Social em Balneário Camboriú (SC) para o atendimento da população migrante e refugiada que reside no município. Já no “Dia de Doar” e no encerramento do mês da “Consciência Negra”, o SJMR Brasil apresentou a campanha “Todas Importam – Igualdade de Oportunidades para Mulheres Negras Migrantes e Refugiadas”, que pretende investir na formação profissional de 50 mulheres negras migrantes e refugiadas.

DEZEMBRO

Na capital do estado roraimense, SJMR recebeu a visita do Pe. Mieczyslaw Smyda, SJ, Provincial dos Jesuítas no Brasil, onde foram detalhadas como são desenvolvidas as ações de apoio às pessoas migrantes e refugiadas na cidade. Salvador (BA) também acolheu a reunião do “Conselho Ampliado do SJMR Brasil”, que reuniu coordenadores e pontos focais de todos os escritórios e promoveu momentos de partilha e planejamento das ações da rede para 2022.

O SJMR em Boa Vista realizou, em parceria com o ACNUR, a entrega de materiais para a infraestrutura das moradias de famílias migrantes da Ocupação Espontânea Vila Vintém, localizada no município do Canta, em Roraima. Em Belo Horizonte, o SJMR assinou um termo de parceria com a Prefeitura Municipal para implementar o primeiro plano de acolhida, acompanhamento e integração culturalmente sensível para refugiados indígenas da etnia Warao.

NOSSO MUITO OBRIGADO!

O Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados Brasil encerrou o ano de 2021 com alegria pelo missão cumprida e gratidão a todos e todas que nos acompanharam nessa caminhada, como colaborador e colaboradora, parceiros, doadores, voluntário e voluntárias.

Em 2022, seguimos comprometidos com a nossa missão: acompanhar, servir e defender as pessoas forçadas a migrarem, promovendo e protegendo sua dignidade e direitos, acompanhando seu processo de inclusão e autonomia, incidindo na sociedade e no poder público para que reconheçam a riqueza da diversidade humana.

Deixe um Comentário