SJMR em Boa Vista realiza jornada de pré-documentação em Centro de Referência do Bairro Nova Cidade

Home / Boa Vista / SJMR em Boa Vista realiza jornada de pré-documentação em Centro de Referência do Bairro Nova Cidade

No dia 27 de julho, o SJMR em Boa Vista realizou uma jornada de pré-documentação no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), localizado no bairro Nova Cidade, com objetivo de atender migrantes que necessitem renovar seus documentos ou tirá-los pela primeira vez.

A atividade é resultado de uma forte atuação em rede, contando com o apoio da ACNUR, da equipe do Projeto Súper Panas AVSI/Unicef e da comunidade católica da Paróquia Santa Rosa de Lima, atuando no CRAS Nova Cidade.

Foram atendidos 22 migrantes e refugiados(as) que residem no bairro Doutor Airton Rocha, área de abrangência do CRAS. Na ocasião, a Equipe Súper Panas realizou atendimentos às famílias com crianças e adolescentes, visando educação e proteção, atualização do cadastro único e encaminhamos para termo de Guarda na proteção UASC (Projeto da AVSI/Unicef que trabalha crianças, separadas, desacompanhadas e indocumentadas).

Ser regularizado no Brasil permite que a pessoa acesse direitos, como a emissão da Carteira de Trabalho e Previdência Social para o exercício de atividades remuneradas no país, abertura de conta bancária em qualquer instituição que faça parte do sistema financeiro nacional, obter inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do Ministério da Fazenda, acessar garantias e mecanismos de proteção e facilitar a inclusão social trazida na Convenção relativa ao Estatuto dos Refugiados; e acesso aos serviços públicos, especialmente aqueles relacionados à educação, saúde, segurança e assistência social.

Para Kamyla Ferreira, voluntária do SJMR e participante da atividade, “contribuir com o SJMR nesta experiência foi inspirador já que a documentação é um passo muito importante para todos os venezuelanos que aqui estão. É a porta de entrada para as oportunidades que tanto buscam. Além disso, chama a atenção o trabalho mútuo entre as organizações que aí estiveram para fornecer toda a ajuda possível a estas pessoas, de forma conjunta e organizada. Acredito que ações como esta ressaltam não só o objetivo, mas também o espírito cooperativo da Operação Acolhida como um todo.”

Victor Hugo Neres Negro, Voluntário e Candidato à Cia. De Jesus, comenta que “foi uma experiência importante, já que diminuiu distâncias e facilitou a emissão de documentação para muitos que encontram dificuldades para realização deste processo. Documentar essas pessoas próximo do local onde vivem ajuda não só dignificar a elas próprias, mas gera também um desenvolvimento na comunidade local, já que eles passam, a partir de agora, a ter acesso à procedimentos e lugares que, até então, estavam impossibilitados.”

Mayra Figuera, Membro da Área Missionária Santa Rosa de Lima, informou que “os migrantes da Área Missionária Santa Rosa de Lima, na comunidade Perola, agradecem ao Serviço Jesuíta para Migrantes e Refugiados pela jornada de documentação realizada no CRAS Nova Cidade. A inclusão de nossa comunidade ajudou as pessoas a poder conseguir a renovação dos documentos de uma forma mais fácil e organizada, evitando gastos com passagem, filas extensas, e a exposição ao COVID-19. Esperamos seguir contando com este apoio!”.

Por fim, temos a fala de Silvia e Delzanira, integrantes da AVSI/Unicef, onde relatam que “a importância de ações deste tipo, uma vez que o processo é realizado de forma itinerante, evita aglomerações e realizado de forma organizada. Outro ponto positivo é o acesso mais próximo da população mais vulneráveis e o acesso aos serviços com a certeza de que receberá o atendimento no horário previamente agendado. Agradecemos  a  iniciativa  e  ressaltamos  a  importação  da  ação  em  benefício  da população fora dos abrigos da Operação Acolhida, que nesse contexto de pandemia e devido a necessidade de deslocamento enfrentam dificuldades em acessar tais serviços. Sugerimos que mais iniciativas como essa sejam organizadas, uma vez que o sucesso da  ação  foi  tamanho,  ainda  hoje continuamos  a  receber  pessoas  migrantes  em  busca de  tal serviço dentro do Equipamento do CRAS Nova Cidade. Destacamos ainda, a disponibilidade desta equipe na parceria a tais ações realizadas dentro do território do CRAS”.                                              

Deixe um Comentário