Plataforma Help do ACNUR quadruplica número de visitas durante a pandemia da COVID-1

Home / Sem categoria / Plataforma Help do ACNUR quadruplica número de visitas durante a pandemia da COVID-1

Site direcionado às pessoas refugiadas se consolida como principal referência de informações confiáveis e atuais para essa população.

Foto: ACNUR/Zachary Prong

A plataforma Help da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) foi implementada no Brasil em novembro de 2018 com o objetivo de agregar informações que facilitam a tomada de decisão por parte das pessoas refugiadas que buscam proteção no país. Dados comparativos entre o primeiro bimestre de 2020 e de 2021 destacam um salto no acesso à plataforma, disparando de 7 mil para mais de 31 mil acessos.

O contexto de pandemia da COVID-19 agravou as dificuldades de integração local já existentes, como as possibilidades de acessar meios de geração de renda e busca de apoio assistencial para suprir as demandas imediatas, como os recursos disponibilizados pelo ACNUR às pessoas em situação de maior vulnerabilidade social.

Neste cenário, a plataforma oferece informações sobre canais de geração de renda no Brasil, regularização de documentos, serviços de moradia, saúde e educação, entre outros temas de interesse, em cinco diferentes idiomas. Inclui também informações sobre prevenção ao novo Coronavírus e sobre como as pessoas refugiadas podem acessar programas emergenciais lançados pelo poder público.

Entre janeiro e fevereiro de 2021, as principais dúvidas encaminhadas pelas pessoas refugiadas por meio do site foram sobre a situação das fronteiras (em especial no norte do país, especificamente entre o Brasil e a Venezuela); como se regularizar no Brasil (em decorrência do fechamento das fronteiras); e como realizar a solicitação da condição de refugiado no país.

“A plataforma Help do ACNUR foi criada para solucionar problemas reais que afetam o dia-a-dia das pessoas refugiadas e, sendo um meio confiável de informação, de fato resulta em uma maior procura pelo contexto do qual estamos vivendo”, afirma o Representante do ACNUR no Brasil, Jose Egas.

Dentre as páginas com maior visitação neste ano, destacam-se as que fornecem informações sobre residência e naturalização no país, assim como a que aborda o tema da documentação. Sobre a localização de onde as pessoas refugiadas buscaram tais informações, os maiores índices se referem a quem estava localizado em Manaus (AM), São Paulo (SP) e Boa Vista (RR).

Lançamento de uma animação sobre a plataforma Help

Embora a plataforma Help tenha se consolidado como uma referência de informações às pessoas em situação de deslocamento forçado, em busca de proteção e meios dignos de vida no Brasil, nem todas conhecem a plataforma. Pelo fato de ser majoritariamente acessada por celular (77% dos usuários), o ACNUR lança hoje uma animação para que a plataforma seja amplamente compartilhada entre as pessoas refugiadas, pelas suas próprias redes sociais. O filme está disponível na página do Youtube do ACNUR Brasil e, assim como a própria plataforma, está disponível em cinco idiomas: árabe, espanhol, francês, inglês e português. Além de contribuir para a disseminação da plataforma, a animação apresenta um breve recorte sobre dúvidas comuns de quem chega a um novo país, como onde buscar oportunidades de emprego, matricular os filhos na escola e buscar orientações de saúde.

Histórico da Plataforma Help do ACNUR

A plataforma Help do ACNUR está presente atualmente em 56 países, sendo o Brasil um dos cinco países que mais apresenta visitantes únicos a cada mês. Ela foi concebida por meio de um programa de inovação do ACNUR e, após diversas consultas com pessoas refugiadas, desenvolveu-se globalmente a estrutura, design e conteúdos do site para serem usados em vários países, de acordo com a realidade local.

O nome “Help” significa “ajuda” e seu significado foi rapidamente absorvido pelas pessoas refugiadas das mais diversas nacionalidades. No Brasil, o ACNUR compilou informações das três instâncias de governo (federal, estaduais e municipais), assim como da Polícia Federal, da sociedade civil organizada e de universidades integrantes da Cátedra Sérgio Vieira de Mello, todos parceiros do ACNUR. Para conhecer a plataforma, acesse ajuda.acnur.org

Deixe um Comentário