SJMR em Manaus prestigia lançamento do livro “Vidas que falam”, em memória à Pe. Cláudio Perani, missionário jesuíta

Home / Sem categoria / SJMR em Manaus prestigia lançamento do livro “Vidas que falam”, em memória à Pe. Cláudio Perani, missionário jesuíta

Na última sexta-feira (18) aconteceu o lançamento do livro “Vidas que falam”, em homenagem a memória do Pe. Cláudio Perani, missionário jesuíta na Amazônia. O evento foi realizado no Espaço Loyola em Manaus e contou com a presença de Terida Munoz, a analista social do SJMR, e Sergio Granell, voluntário da Organização Entreculturas, além de membros do núcleo apostólico de Manaus e das obras jesuítas, como o Serviço Amazônico de Ação, Reflexão e Educação Socioambiental (SARES), o MAGIS, a Associação Antônio Vieira (ASAV) e a Comunicação da Preferência Apostólica Amazônia (PAAM).

Padre Perani foi um sacerdote jesuíta que teve um trabalho muito significativo na Amazonia, especialmente em Manaus, na defensa e promoção dos direitos humanos e cultura de paz. Considerado por muitas pessoas como o “Paulo Freire da Amazônia”, ele foi, e continua sendo, inspiração para o trabalho de missionários comprometidos com as causas e os direitos das pessoas na Amazônia. “O SARES e a Rede Itinerante da REPAM, foram inspiradas por ele, assim como muitas outras pessoas que tiveram a honra de o conhecer e se deixar contagiar pelo compromisso com o outro”, comenta Terida.

“Andem pela Amazônia e escutem o que o povo fala, suas demandas e esperanças, seus problemas e soluções, suas utopias e sonhos. Participem da vida cotidiana do povo. Anotem e registrem cuidadosamente tudo, com as mesmas palavras do povo. Não se preocupem com os resultados, o Espírito irá mostrando o caminho. Coragem, comecem por onde possam” .

Pe. Cláudio Perani

“São suas palavras vivas que permanecem para os que estão aqui e para os que vão chegar. O lançamento do livro foi um momento de recordação e muita emoção. Em sua fala encontrei uma aprendizagem que nunca irei esquecer. Ele sempre nos convidava a ‘remar para as outras margens e para águas mais profundas e lançar as redes para pescar (Lc 5,4’”, finaliza a analista social.

Deixe um Comentário